terça-feira, 5 de junho de 2018

Rapidinhas da Educação de Camocim - Prêmio Tragédia Nota 10 !

Quem Ama cuida!

O mês das mães acabou e, consequentemente, as homenagens a elas nas escolas também. Só pra constar que a festa em homenagem as rainhas dos lares aconteceu de fato por causa do apadrinhamento e patrocínio dos professores e funcionários que tiraram de seu sofrido salário a contribuição para a aquisição de brindes. O problema é que a fama só vai pra quem não pregou um prego numa barra de sabão. 

Festival de “Pidança”

E por falar em festa, os festivais junino nas escolas vem aí a todo vapor e atrelados a eles vem também um “ festival de pidança”. Esse mês pra quem não sabe, fica de lado todo processo de ensino-aprendizagem e entra em ação as gincanas juninas que de gincana não tem nada, pois o que vale é quem vende mais cartela de bingo, rifa, quem “apura” mais dinheiro pra rainha caipira, nas barracas de guloseimas, etc. Essa, na realidade, é mais uma festa patrocinada pelos professores, funcionários e principalmente pelos coitados dos pais dos alunos, que na maioria das vezes deixam de comprar o pão pra pagar a cartela do bingo do menino, pois se assim não for terá sua nota comprometida. 

Sem carteira, sem aula de qualidade!

A falta de carteiras nas escolas ainda é um problema que nunca se resolve! Todos os dias a peregrinação de porta em porta antes de iniciar as aulas é a mesma. Já falamos sobre isso aqui no blog por várias vezes. Enquanto babões vão para as suas salas com ar condicionado no 16 , os alunos penam todos os dias com uma carteira na cabeça, isso se ele pensar em escrever alguma coisa no caderno, se não vai ter que se contentar com as pernas mesmo.

Fiscalização por aí!

E por falar em problemas nas escolas, conta-se a “bocas miúdas” que está andando pelas escolas uma fiscalização ninguém sabe da onde, dizem que é federal  e que estão fazendo uma varredura nas Unidades de Ensino. Tem diretor que já proibiu a Gincana Junina, a venda de cartelas, de rifas e que não se fale nisso até a dita fiscalização sair da cidade. Teve ainda diretores que passaram o final de semana nas escolas capinando o mato que dava no "pé da canela", pintando uma parede aqui e outra ali com o intuito de maquiar um rosto quase sem jeito. Uma dica pra Fiscalização seria: entrevistar os alunos e professores, pois a situação das escolas de Camocim está deplorável.

Merenda não, sopalândia!

A bendita merenda escolar! A pergunta que não quer calar: cadê o Conselho da Merenda que estava aqui? Ninguém sabe, ninguém viu. No dia que foram eleitos vieram a prometer fiscalizar e acompanhar a aplicação dos recursos e a qualidade da merenda. Pelo jeito vai se acabar igual a gestão atual. A situação é crítica, alguns alunos informaram ao blog que não aguentam mais sopa de feijão quase todos os dias. Quando não é sopa, é sopa ou então sopa de novo! 

O precatório tem dono! 

Até onde se sabe a prefeita jurou de pé junto que os professores nem irão ver a cor desse dinheiro, pois segundo ela afirmou, na sua defesa pra não pagar o que é de direito do professor, estes profissionais iriam "enriquecer de forma ilícita". Será que ela e o marido dela estão ricos vendendo pente de tirar “piôi” e pastel de vento na feira? Eleger um deputado sai caro e abastecer o tanque de um jatinho nesse época de crise também é muito caro. Prefeita pague  o precatório, as famílias dos professores agradecem.

Progressão ou Regressão?

O Sindicato APEOC vem lutando junto aos professores para que a Gestão efetive a progressão referente ao triênio 2015-2018 dos professores, beneficio este que tem amparo legal, além de ser direito dos profissionais. A última progressão dos docentes foi concedida em setembro de 2017 referente ao triênio 2012-2015 depois de muita luta. Se é direito do professor, então pague, pois dinheiro tem e muito!

Prêmio Tragédia Nota 10 

Ora, nesta edição do Prêmio Escola Nota 10, Camocim involuiu de 09 escolas  para 04. Mesmo assim a "babança burra" ainda insiste que a conta é de soma e não de subtração. Insisto: é de subtração! Subtraindo a qualidade soma-se a precariedade e  o resultado da operação "Tragédia Nota 10!"

Carlos Jardel

Nenhum comentário: