segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Pense na moral !

O ex-prefeito de Chaval, Paulo Pacheco, chefe maior do grupo de Oposição, que gosta de espalhar áudios nas redes sociais arrotando arrogância e criticas contra o atual prefeito Sebastião, parece sofrer de amnésia seletiva - esquece de lembrar somente dos fato que a população não esquece-, doença tipica de ex-prefeitos que tem históricos vergonhosos, envolvidos em escândalos  de corrupção. No caso do Paulo Pacheco, sua falta de memória seletiva  é o que deve lhe garantir certa coragem para falar de corrupção e das más gestões. É como costumam dizer: tem que ter muita cara de pau! O próprio diz que "não tem medo de nada", pelo contrário, diz que "tem orgulho dos 20 anos em que seu grupo administrou a cidade. É como se em "sua cachola de menino besta", não constasse nada sobre seu envolvimento em corrupção no tempo em que esteve no comando direto da prefeitura de Chaval.

Ora, com toda certeza do mundo ele  esqueceu que no ano de  2012 sua cara saiu estampada nos principais jornais, sites e blogues do Estado do Ceará, como um politico corrupto, criminoso que desviou verbas federais, sentenciado a cinco anos de prisão em regime semi-aberto, pela Quarta Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), que manteve a decisão do Juiz Federal, Sérgio Norões, da 18ª Vara Federal do Ceará. Relembre AQUI no Diário do Nordeste. 

 Memoriol no Pacheco!

A pergunta é bem simples: o que o Pacheco fez com o dinheiro (R$ 28.405 mil.) do convênio da prefeitura com o Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo,  para realizar  cursos artesanais com a população?

Só lembrando: era verba federal!

Foi constatado que os cursos previstos não haviam acontecido e que as máquinas de costura, supostamente adquiridas para o curso, nunca chegaram ao município de Chaval, apesar da emissão de cheques em favor da empresa Marca Maior Comércio Representações e Distribuição Ltda.

Meses depois, vários professores apontaram mais irregularidades como, o monitor do curso de artesanato em palha, que contou que o curso só durou 3 meses, quando no projeto original sinalizava que o curso teria duração de 6 meses, além do pagamento de salário menor do que o combinado inicialmente.  (Arquivo do DN)

Reputação online

No Google, por exemplo, quando digitamos: "ex-prefeito de Chaval", eis o resultado: 



























Com este currículo invejável, os áudios do Pacheco conseguem ser mais engraçados que todo o espetáculo do palhaço Tirira.

Carlos Jardel

Nenhum comentário: