quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Turista do Rio de Janeiro sofre acidente em Tatajuba (Camocim) mas é atendida no hospital de Granja.

"Se a senhora deseja ser bem atendida, então vá pra Granja"



A turista do Rio de Janeiro, de 67 anos, Rosilene Dias, fraturou um dos seus pés num acidente na Praia de Tatajuba, em Camocim. E pasmem! ela não foi atendida em Camocim! O postinho de saúde da comunidade estava fechado - reflita: uma região turística despreparada para estes tipos de ocorrências -. O atendimento primário foi feito no local, por médicos do grupo de amigos que acompanhavam a turista, e com a ajuda do proprietário de uma das barracas. Agora, pasmem mais um pouquinho: barraqueiros, bugueiros e populares foram unanimes em indicar o hospital de Granja para a turista. E fizeram melhor: forneceram o transporte para conduzi-la até o hospital. 

O caminho natural deste atendimento deveria se inciar na unidade de saúde da própria localidade, e de lá, pela lógica, a acidentada deveria ser encaminhada para o atendimento no hospital da cidade, no caso, Camocim, precisamente no Hospital Deputado Murilo Aguiar. Mas, não! O hospital de Camocim não foi a referência! E não foi porque, lamentavelmente, devido ao seu histórico de ocorrências mal sucedidas, tem caído  no descredito popular. São muitos os depoimentos de pessoas que foram maltratados, mal diagnosticados, ou que tiveram parentes mortos pela incompetência médica, sucateamento das estruturas e equipamentos ultrapassados. Isso sem falar que, de acordo com o Ministério Público e a Policia Federal, este referido hospital foi vitima de corrupção por parte de seus diretores, que fraudaram o SUS. 

Em Granja, a turista relatou, e até se emocionou, que o atendimento no Hospital Municipal  Vicente Arruda, que foi exemplar, eficiente,  higienizado, com equipe de profissionais humanizados, com um traumatologista de plantão e muito bem infraestruturado. 

" Eu fiz questão de gravar este vídeo por que a gente não está acostumada com isso no Rio de Janeiro", disse a turista que agradeceu e atribuiu a eficiência do Hospital a administração pública municipal.

Para Camocim, os elogios foram para a educação do povo, a presteza, a solidariedade o carinho, o bom trato para com os visitantes. 

Alfinetada

Ao invés do papudo ficar ordenando ataques a administração de Granja, por pura inveja politica,  deveria seguir o exemplo da administração de Lá, e investir na infraestrutura  e no quadro de  bons profissionais, humanizados, para atender com mais dignidade os moradores de Camocim e região, e também os turistas de outras regiões do Brasil e do Mundo. 

O papudo, com sua assistente, que senta na cadeira de prefeita, deveria lembrar que Camocim é uma cidade turística e que merece infraestrutura diferenciada. Como pode, por exemplo, não ter um guarnição do Corpo de Bombeiro Militar? Como pode a "burrice" administrativa ter dispensado os bombeiros civis? Como pode, nas principais comunidades turísticas, as unidades de saúde não funcionarem na perspectiva de um atendimento destinado a agir conforme a vocação da região? 

E ainda tem a coragem de perguntar; qual a melhor saúde? Granja ou Camocim? 

A resposta está na honestidade do povo de Tatajuba, que disseram: se a senhora deseja ser bem atendida, então vá pra Granja.

Carlos Jardel

Nenhum comentário: