sábado, 11 de novembro de 2017

Padre de Fortaleza rejeita titulo de cidadão em cidade do Acre. "Como posso receber um titulo de Cidadão, se os cidadãos naturais não tem os seus direitos respeitados?

O padre Miguel Lucas da Costa é de Itapebussu, no Ceará, e há mais de três anos está em missão na cidade de Boca do Acre, onde é pároco da Paróquia São Pedro Apostolo, da Diocese de Rio Branco, no Estado do Amazonas. Ele rejeitou o titulo de cidadão oferecido pela Câmara de vereadores da cidade da Boca do Acre. No oficio, enviado ao legislativo municipal, e divulgado nas redes sociais,o padre apresenta os motivos.

"Como posso receber um titulo de Cidadão, se os cidadãos naturais não tem os seus direitos respeitados? Como me sentir cidadão, se os cidadãos próprios de Boca do Acre, principalmente os mais pobres, levam uma vida de miseráveis?"

Se vou me tornar cidadão, gostaria de viver como cidadão, com os direitos básicos garantidos: saúde, emprego, educação, saneamento básico. Agora, se é para ser cidadão como os cidadãos de Boca do Acre vivem, mendigando cesta básica, uma passagem para ir ao médico em Rio Branco, uma ajuda para uma cirurgia, um dinheiro para comprar um remédio, um serviço para ganhar um trocado, NÃO ACEITO".

  Com o posso abrir a boca e bater no peito e dizer que orgulhosamente que sou cidadão Bocacrense, quando vejo o povo padecer por não ter um hospital digno, onde sua saúde é péssima, ruas esburacadas e tomadas pela lama, esgoto a céu aberto, água sem tratamento, e o pior, localidades que, devido à distância, nem água tem para o consumo diário. Viver dessa forma é ser cidadão? Se é NÃO ACEITO" 

 Clique nas imagens para ler a nota na íntegra.




Carlos Jardel

Nenhum comentário: