sexta-feira, 22 de maio de 2020

Sobre a pandemia - onde estão as autoridades de Camocim?

Vejo  os braços cruzados das autoridades públicas do município e do  próprio Ministério Público. 


Segue o artigo de opinião da enfermeira efetiva de Camocim e ex-coordenadora da Micro Regional de Saúde de Camocim e ex-secretária municipal da saúde.

Onde estão as autoridades de Camocim?

O que infelizmente vejo, são os braços cruzados das autoridades públicas do município e do próprio Ministério Público. 

Como cidadã e profissional de saúde, conhecedora dos protocolos do Ministério da Saúde, há dias venho observando o triste cenário que a cidade se encontra: aumento diários dos números de casos confirmados de Covid-12 e óbitos. 

A indignação e a preocupação de que aconteça o pior, me leva questionar:  o que está sendo feito pela população carente? Quem não tem condições de comprar álcool em gel? Máscaras? Onde estão os testes rápidos? Quantos foram adquiridos? Onde fica o local de isolamento para monitorar os pacientes positivos? Quantos totens com álcool em gel?  Como é formando o comitê de combate ao coronavírus em Camocim e quem são os seus membros ? 

Como está funcionando a Barreira Sanitária na rotatória da entrada da sede do município? Pois Testemunhei carros com placas de outras cidades com lotação máxima de passageiros adentrando a cidade sem ter sido devidamente abordado. 

Em que condições estão trabalhando os profissionais da linha de frente, já que alguns se encontram sintomático?

A população precisa de respostas, pois somos usuários do SUS. 

Além da ineficiência do poder público municipal, vejo, de forma triste, episódios de eleitores se digladiando nas redes sociais numa situação que agrava ainda mais a saúde coletiva no aspecto psicológico. 

 O momento não é político! É um momento de conscientização e de trabalhar ações para melhorar o município em relação a esta pandemia.

 É  hora de unirmos forças e lutarmos no combate a este vírus.  E lembre-se: a próxima vítima pode ser você ou alguém da sua família.

Iracema Araújo

Nenhum comentário: