segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

Quando o político se torna a figura principal da Missa, a celebração perde o sentido e vira culto dos idiotas

Sei que esse tipo de critica não agrada a "santa galera" da Igreja Católica de Camocim. E isso pouco me importa. Não estou buscando aplausos, principalmente dos que me detestam.  Como dizia Rui Barbosa: "aos elogios do mundo, prefiro os aplausos da minha consciência".  E quando o assunto envolve a fé que professo - acreditem, sou cristão católico -, menos ainda me incomoda a idiotice fardada de pureza a desfraldar a bandeira dos impios no templo santo. Não mesmo! Então, indo ao que interessa:  pelo que vi e senti, digo que a Missa celebrada na Igreja Matriz de Bom Jesus dos Navegantes, em Camocim, no sábado passado, virou o espetáculo particular, midiático e essencialmente político do senhor Sérgio de Araujo Lima Aguiar. Foi um evento que corrompeu o sentido da celebração eucarística.  Foi, literalmente, a " Missa do Sérgio", como diziam seus capachos na cidade e no mundo virtual.  " O homem é forte", babavam se referindo ao que aconteceu dentro do templo católico.

A imensa maioria dos fieis não foram cultuar Jesus e nem fazer memória do seu sacrifício, foram simplesmente atender o convite "da família do campeão" para cultuar o politico Sérgio Aguiar, que ocupou lugar de destaque, juntamente com toda sua família,  nos primeiros bancos da Igreja, para bem cair no foco das lentes fotográficas e de filmagens, para mais tarde apresentar  pro mundo, nas redes sociais, o poder politico do aniversariante.  Imagino até que toda a liturgia, decoração, cânticos, leitores, cantores, foram pensados com exclusividade no deputado, com a pura intenção de bajulá-lo, de promover sua imagem de bom moço e  de bom politico.  E pelo Amor de Deus! Se isso não for o culto dos idiotas, não pode ser, de forma alguma, culto ao Divino!

E aqui não vou entrar no mérito da fé de Sérgio Aguiar e de seus familiares. Mas sim questionar a manipulação da liturgia em beneficio do politico, deixando Jesus e sua proposta, talvez, em terceiro ou quarto plano. Ou, na pior das hipóteses, quem sabe,Jesus nem tenha sido lembrado.

Ora meu povo, politico dentro da Igreja não deve ter privilégios. Não deve ter lugares reservados.  A celebração não deve ser personificada na sua imagem, mas sim na imagem de Jesus e no seu Evangelho. A Igreja é para acolher todos os pecadores, em primeiro lugar os pobres, pois é a opção de Jesus - e deve ser também a da Igreja -.  Quando a Igreja inverte os papeis, mesmo em caráter excepcional, privilegiando o opressor ou o  corrupto, está indo na contramão daquilo que professa. Ou seja: está errada! 

O que sentem as centenas de pessoas injustiçadas, todas pobres, pela politica Aguiar em Camocim ao verem Sérgio ser devocionado liturgicamente, quase como um santo?  

Já falei sobre esse assunto outras vezes aqui no blog. Mas relembro a temática todas as vezes que a prática se aprimora. E porque temo chegar o dia em que esculte o anúncio: " Missa de Canonização , em vida, do Campeão". 

Carlos Jardel 

Nenhum comentário: