segunda-feira, 22 de julho de 2019

Sinais positivos no Tijuca amedrontam a Oligarquia Aguiar

Nos últimos dias, a movimentação e articulações no Tijuca, sob comando do casal Chico Vaulino e Euvaldete Ferro, respectivos ex-prefeito e ex-primeira dama de Camocim e principais lideranças do grupo de oposição,  causou preocupação enorme ao grupo Aguiar. Visivelmente, alguns dos locutores  da  emissora da rádio porta voz da prefeita Monica e do Deputado Sérgio, transparecerem o incômodo politico sofrido ao - como de costume - criticar o casal tijuquense, que  tem avançado efetivamente na consolidação do arco de aliança em torno da pré-candidata Euvaldete Ferro, nas eleições municipais do próximo ano.

Ficaram mais incomodados ainda com a afirmação do advogado Marcos Coelho que, na condição de especialista em direito eleitoral, afirmou categoricamente que a ex-primeira dama será candidata sem em impedimento algum pela Justiça Eleitoral. 

O certo é que a Oligarquia Aguiar não tem candidato definido. Estão tentando produzir nomes na opinião pública. A imagem que vem sendo trabalhada é do Glauco Aguiar. Porém, nos bastidores,  os próprios aliados afirmam em bom tom que "Glauco não será candidato", e que Sérgio está apenas o enganando. 

Resumo: sem nomes, com o governo fracassado, sem ter conseguido alcançar seus objetivos e cumprir suas principais promessas, enfrentando na justiça graves problemas de corrupção administrativa, com um secretariado ímprobo e ficha suja,  não resta nada para a  Oligarquia Aguiar fazer, a não ser tentar queimar o filme de seus adversários e passar a imagem de um grupo firme e forte, mesmo  esbagaçado até a alma e  sem perspectivas de vitória. 

Já a oposição, evidentemente, pro desespero total da situação, tem emitido fortes sinais de que pretende vencer as eleições do próximo ano. 

Carlos Jardel

Nenhum comentário: