terça-feira, 28 de maio de 2019

Prefeitura de Juazeiro do Norte terá que exonerar servidores não concursados

A Prefeitura de Juazeiro do Norte terá que exonerar os servidores não concursados após a finalização do concurso público realizado nesse domingo, 26. O certame, que tinha concorrência para diversas áreas do Município, teve mais de 60 mil inscritos. Desses, 2 mil candidatos foram prejudicados por problemas de organização que incluem denúncia de fraude e até roubo de provas. 

O concurso é executado pelo Centro de Treinamento e Desenvolvimento (Cetrede), vinculado à Universidade Federal do Ceará (UFC). Foram adiadas para o dia 9 de junho próximo as provas para os cargos de Enfermeiro, Educador Físico, Engenheiro Elétrico, Engenheiro Ambiental e Contador.

De acordo com o promotor de Justiça Silderlândio do Nascimento, do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), uma liminar determinou que, 60 dias após a conclusão do concurso, a Prefeitura de Juazeiro do Norte deverá realizar a nomeação dos aprovados.

"É um dos maiores concursos da história dos municípios brasileiros e foram constatados problemas de organização. Há candidatos que vieram de diversas cidades, tiveram seus gastos", afirma o promotor em entrevista no programa O POVO no Rádio, da CBN Cariri. "O que se revela mais inadmissível ainda é a manutenção desse quadro crítico de contratados sem concurso público nos municípios. Não é concebível que continuem essas contratações por indicação de prefeitos e secretários sem concurso público. O Ministério Público vai lutar contra esse estado de coisas".

O MPCE identificou desorganização por parte do Cetrede, que acabou gerando tumulto entre os candidatos na Universidade Regional do Cariri, Campus Pimenta no Crato. O caso de violação de lacre aconteceu na Faculdade de Juazeiro do Norte. O promotor explica que candidatos ao cargo de contador e educador físico cobraram a presença de representantes do MPCE após verificarem que as provas chegaram com lacre violado na sala. “Pelas circunstâncias, entendemos que não teria condições de dar seguimento a aplicação e a banca nos comunicou que iria anular a prova para aqueles cargos. Não conseguimos verificar se foi um problema técnico ou interferência de alguém”, diz.

Contatada, a Prefeitura do Município diz que vem cobrando as responsabilidades da empresa organizadora. A Cetrede informou que publicará "esclarecimento" sobre o caso na noite desta segunda.

Com informações da repórter Nildênia Damasceno, da rádio CBN Cariri 
O POVO

Nenhum comentário: