quinta-feira, 9 de maio de 2019

Após determinação da Justiça, Temer se entrega à Polícia Federal

São Paulo — O ex-presidente Michel Temer (MDB) chegou há pouco na sede da Polícia Federal em São Paulo para cumprir a decisão judicial de voltar à prisão. O emedebista deixou sua casa, em Pinheiros, na zona Oeste da capital, acompanhado de seu advogado.

Na noite desta quarta-feira (8), Temer já havia prometido se entregar voluntariamente, mas estava esperando a expedição do mandado de prisão. No começo da tarde, a justiça determinou que o ex-presidente se apresentasse até as 17 horas de hoje.

O coronel da reserva da Polícia Militar paulista João Baptista Lima Filho, o Coronel Lima, também precisa se entregar até as 17 horas.


Essa é a segunda vez que Temer e Lima são alvos de prisão preventiva. Em 21 de março, eles já haviam sido detidos no âmbito da Operação Descontaminação, a pedido da Justiça Federal do Rio de Janeiro.

Após quatro dias, um habeas corpus, agora cassado, foi expedido e eles voltaram para casa. Ambos são acusados de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa, acusados de desviar 1,8 bilhão de reais nas obras de construção da usina de Angra 3.

Temer pede para ficar em São Paulo

O ex-presidente afirmou que quer ficar preso em uma Sala de Estado Maior no Quartel General da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

Em petição à 7ª Vara Criminal Federal do Rio, advogados do ex-presidente, que teve prisão preventiva decretada nesta quarta, 8, pelo TRF-2, por suspeita de liderar organização criminosa, alegam que emedebista tem residência na capital paulista.

Em pedido à Justiça, João Baptista Lima Filho, amigo do ex-presidente que também teve a prisão decretada, pediu para se apresentar voluntariamente para cumprir o mandado.

O advogado Eduardo Carnelós, que defende Temer, alega que “como é sabido, o Requerente tem domicílio em São Paulo, onde reside com sua família”.

“Seus Defensores mantêm escritório profissional na capital paulista, e, como foi observado ontem pelo E. Tribunal Regional Federal ao indeferir a ordem ao Requerente, há 6 denúncias já propostas contra ele – numa delas, em curso perante esse D. Juízo, há prazo em curso para formulação de resposta (com pedido de devolução feito e ainda não apreciado), enquanto as outras devem chegar à fase do art. 396 e ss. do CPP em breve -, o que indica a imprescindibilidade de contatos frequentes entre advogado e acusado, sob pena de impedimento do exercício da defesa”, afirma.

Exame

Nenhum comentário: