quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Bolsista - Deputado responde Pastor Elzenio


Antes, entenda: no último dia 12 de dezembro, o deputado estadual eleito Romeu Aldigueri, na Rádio 98.7, Pinto Martins FM,  no programa Grande jornal da 98 AQUI mencionou o Pastor Elzenio Lopes (foto) como um dos nomes que consta na relação de bolsistas da prefeitura de Camocim, através do convênio - ilegal e eleitoreiro - firmado com a Fundação de Cultura e Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Funcepe).

Em sua defesa o pastor postou nas redes sociais um vídeo  em que afirma ter participado do curso dos bolsistas - Capacita Mais - da Funcep. Você confere, na íntegra, o vídeo do Pastor AQUI e abaixo,  a resposta de Romeu.

Resposta de Romeu, que também circula nas redes sociais.

"Nesta manhã, o Sr. Pastor Bolsista Elzenio, gravou um vídeo que tenta desesperadamente esclarecer o fato do senhor ter recebido de agosto até novembro uma “ bolsa de capacitação”  no valor de R$ 2.000,00 reais por mês para participar de suposto curso genérico de “ gestão de pessoas”. Vamos aos fatos: 

1-  O Sr. Pasto Bolsista Elzenio deve esclarecimentos ao Ministério Público Federal que denunciou a Prefeita Mônica Aguiar e o Deputado Sérgio Aguiar e lhe cita como beneficiário ilegal da suposta bolsa voto. 

2- São mais de 1.600 pessoas que receberam a suposta bolsa só de agosto a novembro ( e o curso iria até 31 de dezembro ), período eleitoral,  e toda a população camocinense sabe que não houve curso nenhum, muito menos 30 hs aula semanais. Nunca houve divulgação destes cursos na imprensa local nem regional.

3- O Sr acha correto ser contratado diretamente sem seleção pública deixando de dar oportunidades iguais a todos, ou outros pedagogos e psicopedagogos não gostariam de receber R$ 2.000,00 reais por mês direto e sem seleção pública ou concurso público? 

4- A sua seleção foi aquele encontro fotografado e postado nas redes sociais, juntamente com outros pastores da cidade, no átrio da prefeitura de Camocim, declarando apoio ao Dep Sérgio Aguiar, o qual se encontrava também presente. Logo após você ganhou a bolsa. 

5- Como vossa senhoria já formado com nivel superior recebe uma bolsa genérica paga pelos cofres públicos municipal no valor de R$ 2.000,00, sem haver participado de concurso público ou seleção pública ? 

6- Você esqueceu de mencionar que é Presidente da Igreja Peniel de CAMOCIM, fundador do Projeto Peniel de CAMOCIM, sócio-gerente e dono de uma empresa comercial no centro da cidade que vende “ superzon “, regularmente inscrita na Receita Federal, e que portanto jamais  poderia receber essa bolsa e estar ainda presente 30 hs semanais no suposto curso inexistente. 

6- Não estar em jogo aqui o seu trabalho social que pensávamos infelizmente ser voluntário. 

Está o fato do senhor ter sido contratado de forma desviada, imoral e ilegal através de um convênio sem licitação com o objetivo mentiroso e torpe de “ capacitar “ pessoas residentes de Camocim sem uma seleção pública ou concurso público, ferindo de morte os princípios públicos da moralidade, impessoalidade, probidade. 

7- Já sabemos que vários cabos eleitorais e suplentes de vereadores de outros municípios também ganharam a suposta bolsa de capacitação, o que desmoraliza seus  argumentos de que o convênio da FUNCEP com o Município de CAMOCIM é moral e legal. A livre imprensa já denunciou. O Jornal O Povo, Revista Camocim, Portal de Camocim, Sobral de Prima mostraram a todos os documentos que provam a denúncia que é do Ministério Público Federal Eleitoral- MPE.

8- O Ministério Público antes da denúncia realizou varias investigações ouvindo “ bolsistas “ que não sabiam sequer por que estavam naquele ambiente de trabalho, quem e como foram contratados, quanto iriam receber, quem iria pagar, qual a função  a ser exercida. Não sabiam de nada, comprovando que estavam lá por questões meramente eleitoreiras tanto é que logo após a eleição todos inclusive o senhor foram demitidos via WhatsApp. 

9- Por quê o município de CAMOCIM, e não a FUNCEP, em novembro de 2018, encerrou as atividades dos bolsistas por uma simples mensagem de wattsapp, se no contrato firmado com a FUNCEP, o prazo era até 31 de dezembro de 2018? 

10 - Pastor Bolsista Elzenio responda aos camocinenses, já que vossa senhoria tem diversos cursos de capacitação, inclusive especialidades, por que não foi contratado pelo município de CAMOCIM como professor e não Bolsista, o que daria mais oportunidade aos jovens camocinenses, estes, na sua grande maioria, atualmente  DESEMPREGADOS?

Por fim, é bom que se diga que na semana passada, dia 21 de dezembro, o Tribunal de Contas do Estado do Ceará- TCE suspendeu o convênio firmado pelo município de CAMOCIM com a FUNDAÇÃO - FUNCEP, por possíveis danos aos cofres públicos, o que demonstra a leviandade dos argumentos do Sr. Pastor Bolsista Elzenio, de que fez jus ao recebimento de dinheiro público originário do município de CAMOCIM. 

Outra coisa, Sr. Pastor Bolsista Elzenio, me responda quem está realmente com a razão: é Vossa senhoria ou o Tribunal de Contas do Estado do Ceará e Ministério Público Federal?

Lobo em pele de cordeiro. Mascaras. Teatro. Falsidade, atualmente essa é a nossa realidade. Nos livrai da hipocrisia constante e de falsos profetas moralistas que nos rondam, nós somos o caminho do nossos caminhos.

A palavra final, que desqualificará os argumentos levianos do Pastor Bolsista Elzenio, está nas mãos da JUSTIÇA dos homens e de Deus!"






Carlos Jardel

Nenhum comentário: