sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Barroquinha/Eleição da Câmara - Situação comemora vitória. Ninguém foi preso e não teve outra votação.

A eleição da presidência da Câmara de Barroquinha, marcada por polêmicas na manhã desta sexta-feira (14), apesar de ter sido surpreendente, mantém sua decisão final, em que se  consagrou presidente, por maioria de 5 a 4,  o vereador  da base do Governo, Amanajás, derrotando o candidato Quitinha, da base opositora. 

Apesar da oposição ter tumultuado, questionando o resultado, alegando suposta fraude, o processo correu, segundo a Procuradoria da Câmara, dentro de toda legalidade possível, obedecendo o regimento interno e demais convenções estabelecidas pelos vereadores, inclusive sobre rigorosa fiscalização feita pelos vereadores da oposição durante todo o processo.

Os dois candidatos, de situação e oposição, antes da votação, foram convidados a fiscalizar as cédulas eleitorais - aliás, as demais lideranças das bancadas também verificaram minuciosamente tudo antes dos vereadores irem às urnas - e  não encontraram nenhum tipo de irregularidade capaz de prejudicar o processo. No entanto, como o resultado da apuração frustou a oposição, os vereadores resolveram tumultuar a sessão, alegando suposta fraude. 

- Cabe aqui uma reflexão: se o processo foi vastamente fiscalizado pela própria oposição, de forma transparente, antes da votação, porque não detectaram essa suposta tentativa de fraude? 

Resposta: porque não teve fraude. E é justamente isso que eles não querem aceitar, apesar de todas as evidências apontarem para hipótese de que, entre os cinco vereadores liderados pelo ex-prefeito Jaime Veras, exista um "traidor", que votou na chapa indicada pelo prefeito Ademar.

O voto é secreto. E sendo secreto, essa possibilidade - de traição na hora H -, até que consigam provar o contrário, é a mais certa e a mais forte. 

Em tempo

Agora, óbvio que o traidor ou traidora - ninguém sabe quem -  vai negar até a morte e defender a teoria de fraude. 

A novela da Câmara deverá ter outros capítulos nos próximos dias. 

E antes que eu me esqueça: é mentira a história de que o vereador secretário da Câmara de Barroquinha foi preso por fraude. Ele foi apenas prestar esclarecimentos sobre como ocorreu a Sessão. Também não teve outra votação.

A chapa vencedora : 

Amanajás:Presidente 
David Júnior: Vice Presidente 
Meire : 1° Secretaria 
Bento 2° Secretario

Carlos Jardel

Nenhum comentário: