segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Encerrado o festejo do padroeiro de Camocim, tirando a demora, a festa, no geral, é sempre gratificante

Encerrou-se ontem, dia 25 de novembro, o tradicional  festejo do padroeiro de Camocim, Senhor Bom Jesus dos Navegantes. O Pároco Padre Evaldo presidiu a celebração final na data em que marca a Festa litúrgica do Senhor  Cristo Rei e também o Dia do Leigo e, como de costume, o sacerdote  dedicou  sua homilia  falando destes dois temas, a  importância do leigo e os aspectos teológicos do reinado de Jesus.  E tudo isso, lógico, foi muito bom.

A festa do padroeiro é sempre um dos acontecimentos mais importantes na vida paroquial, pois é a principal ocasião em que se celebra a vida da comunidade. No caso de Camocim, como ocorre no final do ano litúrgico, e praticamente no final do ano civil, é um bom momento para  também  fazer uma retrospectiva, avaliar a caminhada, rever conceitos, ressignificar a fé, confraternizar e estimular a vida em todos os seus aspectos. 

Mas, já que nem tudo é prefeito, o que poderia melhorar nas próximas edições do festejo, algo  que não foi muito bom neste ano, mesmo sendo uma festa religiosa de grande importância para os cristãos católicos de Camocim, foi o tempo de duração das celebrações. Essa última, por exemplo, foi a mais demorada,  teve início um pouquinho mais das 19h com a benção final quase chegando às 22h. Ou seja: três horas de evento!

Outra reclamação foi sobre o  falatório exagerado do comentarista no início e no final da celebração, que mais parecia a presentação de um show televisivo comercial e de ofertas de produtos,  do que mesmo a celebração litúrgica do sacrifício de Jesus.

Foram muitas as reclamações de fieis jovens, idosos e de meia idade. Muita gente - não todas, lógico - voltaram pra casa antes da benção final. A Paróquia precisa considerar essa observação vinda de fieis, pois é justa, legitima e honesta. 

E antes que algum ser religioso alienado de plantão venha encher meu saco, colocando sua alma no fogo dos infernos,  me acusando de atacar a Igreja Católica,  ou dizendo que não sei o que estou falando, aconselho ler mais um pouco sobre as orientações da Igreja e do próprio Papa Francisco com relação ao tempo de uma celebração. Ou então vá reclamar do líder maior da Igreja, o Papa Francisco. 

Em setembro deste ano o Papa Francisco falando aos fiéis reunidos na Piazza Armerina, na região italiana da Sicília, durante uma celebração  disse “quantas vezes escutei: ‘Ah, padre, eu rezo, mas não vou a Missa. Não vou’. Mas, por que? ‘Porque a homilia me deixa entediado, dura quarenta minutos’ Não! Quarenta minutos deve durar a Missa inteira e a homilia não mais de oito minutos”.

E ainda em uma Audiência Geral em fevereiro deste ano, o Santo Padre pediu aos sacerdotes que “a homilia seja breve, mas que esteja bem preparada. E como se prepara uma homilia, queridos sacerdotes, diáconos, bispos? Como se prepara?”.

Não estamos diminuindo a importância do festejo e nem desclassificando ninguém, e reafirmo: a festa do Padroeiro de Camocim, como sempre, foi bem organizada, estruturada, tudo preparado com as mais boas intenções de evangelizar o povo. E por isso contou com grandes multidões durante os 10 (dez)  dias.  Parabéns ao Padre Evaldo e toda sua equipe. 

Carlos Jardel 

Nenhum comentário: