sábado, 10 de novembro de 2018

César Veras mantém ritmo de cachorro louco na tribuna

Não sei qual a moral que o vereador César Veras tem para atacar o vereador Erasmo Gomes ou qualquer um outro vereador de oposição. Com a "data venia", entendo que ele extrapola os limites prudenciais que um parlamentar deveria ter no uso da tribuna, principalmente sendo quem é, presidente da União dos Vereadores do Ceará (UVC) e aspirante à presidência da Câmara. Funções politicas, porém, de natureza objetivamente conciliar, e não de cachorro louco, raivento, que afasta, inclusive, os próprios aliados.

Ele é vereador, uma expressão que se conjuga no plural, que representa essa pluralidade e que no exercício deste oficio representativo precisa zelar obrigatoriamente pelos valores que o cargo lhe obriga. Ele não pode se dar ao luxo de agir como um mero colonista politico opinativo, renegando  a obrigação de cuidar da instituição. 

Vale lembrar que ele não é blogueiro, jornalista, radialista analítico. E os microfones do parlamento  não são microfones de programa radiofônico e nem de auditório com plateia de A e B.

Está ficando feio a postura assumida pelo vereador César Veras, que deixa de tratar da ideia opositora para atacar a postura pessoal de quem faz oposição. É bom lembrar que a oposição deve ser respeitada enquanto instrumento democrático e por representar parcela significativa da sociedade.

Ora bolas, se a conduta do vereador está sendo considerada errada, que acione-se então a comissão de ética do parlamento, proceda com uma ação legal, investigue e puna o parlamentar. Agora não é bonito e nem ético ficar palestrando tema de ordem moral, "sem pé nem cabeça", apenas para rebaixar a pessoa do opositor e não sua ideia.

Por último, por falta de assunto, o vereador pelego leu na tribuna, sem precisão alguma - ou teve?, nossa opinião  AQUI sobre o comportamento politico do vereador Erasmo, colocado numa plataforma de opinião incabível na discussão de parlamento. É bem verdade que a fala de todo vereador, na Tribuna, é inviolável, no entanto, isso não significa dizer que não precisa ser peneirada, para evitar tanta asneira jogada no ventilador da população.

Não estou defendendo o Erasmo. Não preciso defendê-lo e não tenho porque. Também não estou mudando minha opinião mais recente sobre ele. Estou apenas rejeitando - e não é de agora - a estrategia, a meu ver, anti-parlamentar do vereador César Lera.

Carlos Jardel
Atualizado às 14h57min

Nenhum comentário: