segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Campeonato camocinense de futebol sofre descaso da Liga e da Prefeitura.

O campeonato camocinense de futebol nunca esteve pior!, passa por uma desvalorização pública de envergonhar qualquer desportista sério e amante do bom futebol. Organizado pela Liga Desportiva e financiado pela prefeitura, as partidas realizadas no decadente Estádio Fernando Trévia, não conta com ambulância e nem com uma equipe de profissionais da saúde para atender os atletas que por ventura vierem se machucar.  

Na rodada deste final de semana, um jogador, ao se machucar,  saiu do campo nos braços dos colegas, pois não existe macas,  e caso precisasse ser socorrido para uma unidade hospitalar, teria que ser na base da caridade em transporte de particulares.    

Nem mesmo água para os árbitros está sendo disponibilizado, inclusive, os mesmo vestem o fardamento ao ar livre, debaixo das árvores, pois a sede da liga, que serviria de suporte, é sempre de portas fechadas. 

O evento também é desprovido de qualquer tipo de segurança - policiais, guardas municipais e particulares.

"Até o  presidente da Liga, Batista da Marinha, é ausente. Dificilmente aparece", comentou um desportista.

O campeonato será encerrado no dia 27 de dezembro e nem mesmo um plano de mídia, de divulgação, foi efetivado para dar notoriedade e mobilizar torcedores para prestigiar  e incentivar suas equipes. Para se ter ideia, o público do último final de semana não ultrapassou 20 pessoas.

Vale lembrar que a promessa da prefeita Monica era valorizar o campeonato, modernizar o Estádio e transformá-lo em padrão FIFA. Mas já tem atleta dizendo que o padrão Granja já estaria de bom tamanho.

Carlos Jardel

Nenhum comentário: