terça-feira, 23 de outubro de 2018

Na reta final da campanha, Haddad procura Tasso e faz novo aceno a Ciro

Na mesma entrevista ao Roda Viva na qual falou nesta segunda-feira que espera um aceno do ex-candidato Ciro Gomes (PDT), de férias na França desde o dia 11/10, o presidenciável Fernando Haddad (PT) também admitiu ter telefonado para o senador Tasso Jereissati (PSDB).

“Hoje eu conversei com o Tasso. Porque disseram que eu não entendi a mensagem do primeiro turno”, declarou o petista, que enfrenta o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno das eleições.

Sem especificar o conteúdo da conversa, Haddad disse ter ligado a fim de “restabelecer relações” com o parlamentar cearense, “porque é uma pessoa de quem eu gosto muito” e “um senador muito aprumado”.

O ex-prefeito de São Paulo acrescentou ainda ter procurado Tasso porque um colunista (Marcos Lisboa, da Folha de S. Paulo) chegara a sugerir que o petista “não tinha entendido” a sinalização do político cearense.

“Se eu não entendi, eu vou fazer o gesto de reaproximar”, completou Haddad. “Esperavam de mim que eu fizesse um aceno pro PSDB à época, que eu não fiz.”

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo no dia 13/9, Tasso fez mea-culpa do PSDB, criticou o partido por haver questionado o resultado da eleição em 2014 e também pelo apoio dado ao governo de Michel Temer (MDB).

Procurada pelo Blog Política, a assessoria do senador não respondeu aos contatos até o fim da noite.

Em encontro da executiva nacional duas semanas atrás, o PSDB definiu-se pela posição de neutralidade no segundo turno das eleições.

Uma ala da legenda mais ligada ao ex-prefeito João Doria, no entanto, defendia aliança com Bolsonaro.

Na reunião,  Tasso defendeu a neutralidade.

Apesar da orientação, o ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso tem se mantido crítico à candidatura de Bolsonaro nas redes sociais.

Nesta segunda-feira, FHC escreveu no Twitter: “Inacreditável: um candidato à Presidência pedir às pessoas que se ajustem ao que ele pensa ou pagarão o preço: cadeia ou exílio. Lembra outros tempos”.

Blog de politica do O Povo

Nenhum comentário: