terça-feira, 16 de outubro de 2018

Candidato da sigla de Bolsonaro apoia Haddad no segundo turno

O candidato derrotado ao Governo de Sergipe pelo PSL – sigla do candidato à Presidência de Jair Bolsonaro -, Eduardo Cassini, anunciou que apoiará Fernando Haddad (PT) neste segundo turno. Ele ficou em sexto lugar neste pleito, com 32.326 mil votos.

Procurado pela reportagem do Blog Política, ele falou que não daria entrevista, limitando-se a afirmar que já apoiou Bolsonaro em determinado momento da vida, sem especificar qual. Em vez disso, enviou nota à reportagem.

No comunicado, ele afirma que após o primeiro turno, com a ida de outros dois candidatos ao segundo turno em Sergipe, passou a analisar os projetos de governo tanto dos candidatos ao Executivo estadual quanto dos concorrentes ao Palácio do Planalto.

“Constatei que o meu projeto para o Brasil encontrava mais similitudes com os do candidato Belivaldo Chagas (PDS) para o governo e do candidato Fernando Haddad para a Presidência”, diz o político.

Cassini afirma que depois do pronunciamento em direção aos candidatos sofreu ameaças, “mesmo sendo histórico crítico ao PT e seus governos”. “Passei a receber ofensas, xingamentos, ódio, culminando com diversas ameaças contra mim e contra minha família”.

Ele relata ter precisado prestar Boletim de Ocorrência (B.O.) contra os que ameaçaram a integridade física dele e da família. Cassini afirma ainda ter recebido apoio do PT e da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD).

Segundo Cassini, seu apoio aos candidatos do PT e do PDS se deu em função da compreensão de que as ideias deles não entravam em atrito com as suas, “mesmo havendo discordância em alguns pontos”.

“Essa é a minha última manifestação durante o processo eleitoral pois me sinto acuado e intimidado, temo pela minha vida e pela vida dos meus. Peço aos que acreditaram em mim e me viram como um homem sério, honesto, digno, que entendam minhas razões e que não semeiem o ódio, pois ele pode nos destruir”, encerra.

Procurado, o PSL de Sergipe não atendeu as ligações.

Blog de politica do O POVO

Nenhum comentário: