segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Se eleito, General admite possibilidade de privatizar Cagece

O General apontou como possibilidades a privatização, a abertura de capital, com manutenção do controle privado ou ainda manter o modelo atual. Porém, ele criticou os serviços prestados em Fortaleza e disse que no Interior é ainda mais problemático. Na opinião de Theophilo, algo precisa mudar na gestão da empresa. Como exemplo, citou a presença de indicações políticas.

“Nós temos essa empresa que não está dando lucro, e o privado sabe fazer melhor que o público, disso eu não tenho dúvidas”, afirmou. Para o candidato, a máquina pública se encontra “inchada” e o estado tem de ser mínimo. Ele diz que, se eleito, diminuirá o número de secretarias ligadas ao governo para 20, mas não especificou quais deixariam de existir.


Para driblar a corrupção e melhorar o trabalho das agências reguladoras, órgãos responsáveis pela fiscalização dos setores econômicos do País, General acredita que deve escolher líderes com base na “meritocracia”. Pessoas que atuam na área das agências que vão trabalhar terão prioridades. O candidato diz que quer extinguir “cargos de confiança” nas empresas estatais. 

Redação O POVO Online 

Nenhum comentário: