quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Prefeito contraria testemunhas e diz que matou ex-funcionário para se defender de agressão

Preso nesta terça-feira, 4, após se apresentar à Polícia Civil em Fortaleza, o prefeito de Santana do Acaraú, Marcelo Arcanjo (MDB), disse que foi agredido por Augusto Cesar do Nascimento, antes de matá-lo, na última quarta-feira, 29. Nascimento era ex-fucionário da Prefeitura e foi morto dentro da própria casa, na frente da mãe.

Marcelo Arcanjo está preso mediante mandado de prisão temporária. O delegado Marcos Aurelio concedeu entrevista coletiva na Delegacia Geral da Polícia Civil, onde informou que a versão do prefeito diverge com as informações das testemunhas. 

Conforme o delegado, o suspeito disse que foi até a casa do ex-funcionário para conversar e que foi agredido. Ele ainda disse que, no intuito de se defender, efetuou o disparo que atingiu o tórax e saiu pelo pescoço. A quantidade de tiros só será divulgada após o resultado do laudo da Perícia Forense.

De acordo com o delegado, a versão é contraditória com as informações repassadas pelas testemunhas, que não citam agressão física por parte do ex-funcionário. O inquérito indicia o prefeito por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e sem chance de defesa para a vítima. A arma do crime ainda não foi encontrada e Marcelo Arcanjo relatou no depoimento que jogou o equipamento em um rio. A Polícia deve realizar buscas para encontrar a arma. O prefeito é policial federal aposentado e possuia porte de arma.  

O POVO

Nenhum comentário: