quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Pacheco Neto já denunciou a própria tia Janaline por improbidade administrativa. "Ela deixou a cidade num caos", disse.


No dia 28 de Março de 2014, o então prefeito da época, Pacheco Neto, moveu uma Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa contra a  própria tia, a ex-prefeita Janaline Pacheco, que lhe antecedeu no executivo municipal e deixou um rombo nas contas públicas. Tudo afirmado documentalmente pelo próprio Pacheco Neto à Justiça, através de sua procuradoria Jurídica. 

Na denuncia, Pacheco Neto informou que a ex-prefeita Janaline deixou de prestar contas do convênio Estadual 230/210 celebrado com a Secretaria das Cidades no valor de R$ 134.674,51 (Cento e Trinta e Quatro Mil Seiscentos e Setenta e Quatro Reais e Um Centavo).  Tal convênio tinha como finalidade realizar obras de urbanização na entrada da cidade, na Avenida Monsenhor Carneiro - Pórtico - e um calçadão na Sede de Chaval. - Quem não conhece a famosa pracinha "bolinha de ouro?" - Além de não prestar contas, a ex-prefeita Janaline não executou a obra na sua totalidade, e isso acarretou a inadimplência do município, que ficou impedido de celebrar novos convênios.

Eis o que disse Pacheco Neto sobre a administração da ex-prefeita, sua tia: 

" (...) Vale ressaltar que a atual administração (a de Pacheco Neto), ao tomar posse, encontrou o Município de Chaval em um verdadeiro caos administrativo e financeiro, com problemas desde a falta de documentos essenciais  ao deslinde regular da máquina administrativa , bem como, débito junto a fornecedores e com a folha de pessoal dos servidores do município com um atraso de três meses , e para reverter o quadro caótico que se apresentava tomou medidas moralizadoras e austeras, com a finalidade de restabelecer a saúde administrativa e financeira do Município (....) A gestão anterior (Janaline) não deixou nenhum documento, processo licitação, contrato ou cópia do citado convenio(...) 

" Não é possível, na atualidade que, aceitar que administradores tratem a coisa pública como se fosse um objeto seu e, por cima, considerado sem valor, dilapidando-o, ao assumir a administração pública", disse o ex-prefeito através de sua procuradoria, que na época pediu à Justiça a indisponibilidade e  bloqueio dos bens da ex-prefeita Janaline.

Alfinetada

Janaline é irmã do ex-prefeito Paulo Pacheco, pai do Pacheco Neto e chefe maior da oligarquia que quebrou Chaval. A mesma que já cogita lançar Janaline como a próxima candidata a prefeita de Chaval nas eleições de 2020.

A questão é:  como é que uma gestora quer voltar a governar a cidade, tendo sido denunciada pela  própria família por improbidade administrativa? Isso é sacanear com o povo chavalense, é zombar da cara da população.

Haja óleo de peroba para tanta cara de pau! 

Carlos Jardel

Nenhum comentário: