segunda-feira, 10 de setembro de 2018

O que ameaça a nossa jovem democracia?

Texto: Pastor Marcelo Gomes.

1. Todas as vezes que vemos pessoas alienadas dos processos históricos ocorridos no Brasil, pedindo intervenção militar, dando apoio aos militares, clamando por um regime autoritário, constitui-se perda de qualidade democrática. Assusto-me quando leio: “Bíblia sim, constituição não!”

2. Hostilidade e  intolerância contra as minorias e a igualdade de direitos. Intolerância contra imigrantes, homossexuais, índios, negros, mulheres e grupos religiosos. O Brasil sofre uma grande piora dos direitos individuais de seus cidadãos.

3. Posições conservadoras, fundamentalistas se solidificam no sistema político. Um movimento religioso, evangélico que é especializado no campo do moralismo sem compromissos sociais e éticos, apodrece na hipocrisia. Os anais da história registram que igrejas históricas - batistas, presbiterianas e metodistas - no Golpe de 1964, vários pastores não só apoiaram a suspensão da democracia, como se tornaram informantes de órgãos de repressão. Estarrecido me pergunto: como pastores alinhados a torturadores sem nenhum constrangimento conseguiam ministrar em suas igrejas a Santa ceia no Domingo? Refletindo sobre a atual conjuntura política ouso mais uma vez perguntar: como evangélicos e católicos que se dizem cristãos seguem na dianteira de processos odiosos. De onde vem tanto ódio disfarçado de verdade divina? É estarrecedor ver evangélicos apoiando um fascista disfarçado de protetor da ordem, da "família tradicional", dos bons costumes e da "herança judaico-cristã". 

4. Aumento de impostos e diminuição dos custos com saúde, educação e saneamento básico por vinte anos. Quando uma pequena elite que só legisla, julga e gerencia para dar continuidade a um sistema iníquo e injusto. Velhos oligarcas degeneraram nossa frágil democracia em plutocracia (governo de ricos). Plutocratas a degeneraram em cleptocracia (governo de ladrões).

Nenhum comentário: