sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Projeto Comprova: pesquisa que mostra Bolsonaro vencendo em todos os estados é falsa

Um texto sobre uma pesquisa que teria sido feita em julho e que afirma que “Bolsonaro está na frente em todos os estados e venceria as eleições no primeiro turno mesmo com Lula sendo candidato”, ganhou novo fôlego nas redes sociais e vem se espalhando rapidamente. O levantamento é falso e não tem registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), apurou o Projeto Comprova.

Apesar de, no texto, o autor não identificar qual instituto teria realizado o levantamento (a pesquisa é só referida como “realizadas pela instituição de pesquisas”) os números apresentados são iguais aos de uma suposta pesquisa do Instituto Paraná Pesquisas, que já foi negada pela própria instituição.

O Comprova não encontrou quaisquer outras pesquisas de outros institutos e nem tem informações de outra que tenha vindo a público com esses índices.

Entre outros dados, a suposta pesquisa aponta que no estado do Rio de Janeiro, o candidato do PSL Jair Bolsonaro teria a preferência de 64,72% do eleitorado, enquanto Lula atingiria 32,61%. Na pesquisa lançada pelo Instituto Paraná na época, Bolsonaro está com 26,6% das intenções de votos, enquanto Lula tem 25,5%.

A pesquisa falsa ainda se estende por outros Estados, como Bahia (Bolsonaro: 38,62% x Lula: 23,75%), Minas Gerais (Bolsonaro: 58,81% x Lula: 11,94%), Pernambuco (Bolsonaro: 35,09% x Lula: 23,63%) e São Paulo (Bolsonaro: 61,47% x Lula: 37,27%). Entretanto, em sua nota oficial, o Instituto Paraná afirma que não publicou pesquisa com resultados para todos os estados brasileiros e pede para que as pessoas desconsiderem o conteúdo caso o recebam por se tratar de informação falsa.


De acordo com o TSE, entidades e empresas que realizarem pesquisas de opinião pública relativas às “Eleições 2018” ou a candidatos devem registrá-las junto à Justiça Eleitoral, como determina a Res.-TSE nº 23.549, de 18.12.2017. Como explica um material elaborado pela Gazeta do Povo, divulgar levantamentos falsos ou que não foram registrados pode gerar uma multa de até R$ 100 mil para o veículo de comunicação.

A pesquisa falsa ainda se estende por outros Estados, como Bahia (Bolsonaro: 38,62% x Lula: 23,75%), Minas Gerais (Bolsonaro: 58,81% x Lula: 11,94%), Pernambuco (Bolsonaro: 35,09% x Lula: 23,63%) e São Paulo (Bolsonaro: 61,47% x Lula: 37,27%). Entretanto, em sua nota oficial, o Instituto Paraná afirma que não publicou pesquisa com resultados para todos os estados brasileiros e pede para que as pessoas desconsiderem o conteúdo caso o recebam por se tratar de informação falsa.

De acordo com o TSE, entidades e empresas que realizarem pesquisas de opinião pública relativas às “Eleições 2018” ou a candidatos devem registrá-las junto à Justiça Eleitoral, como determina a Res.-TSE nº 23.549, de 18.12.2017. Como explica um material elaborado pela Gazeta do Povo, divulgar levantamentos falsos ou que não foram registrados pode gerar uma multa de até R$ 100 mil para o veículo de comunicação.

Levantamentos de abrangência nacional podem ser pesquisados diretamente no site do TSE, enquanto pesquisas estaduais ou municipais estão registradas nas páginas dos Tribunais Regional Eleitoral (TREs). Na Justiça Eleitoral, contudo, só há informações sobre a metodologia da pesquisa e não os resultados.

A matéria com a pesquisa falsa foi mais recentemente postada nas redes sociais pelo perfil do jornalista Hélio Nogueira (@HelioNogueiraTV) no último dia 20/08. Até o dia 22/08, esse post contava com 795 retweets e 1,504 curtidas.

 Esta verificação foi feita por jornalistas do Jornal do Commercio e BAnd News FM e confirmada pelo O POVO, Uol, Gazeta Online, Gazeta do Povo e Poder 360.

O que é o Comprova

O Comprova é um projeto de jornalismo colaborativo, que envolve 24 veículos de imprensa de todo o País, com o objetivo de combater a desinformação durante o período eleitoral. Informações falsas que estejam viralizando nas redes sociais serão checadas pelos jornalistas participantes e publicadas no site projetocomprova.com.br. Para denunciar boatos, envie mensagem para o WhatsApp (11) 97795-2200.

O POVO

Nenhum comentário: