terça-feira, 29 de maio de 2018

Depois da pressão, prefeita Monica assinou hoje, com atraso de 5 meses, contrato de rateio com Consórcio Microrregional de Saúde

Digam ao Leviano César Lera que dívida ultrapassa meio milhão de reais! 


Depois de 05 (cinco) meses protelando e colocando em risco o funcionamento de Sistema de Saúde Regional, a prefeita Monica Aguiar (PDT) resolveu assinar  hoje, dia 29, o contrato de rateio com o Consórcio Público de Saúde da Microrregião de Camocim, após inúmeras cobranças do vereador Juliano Cruz e sob a cobrança formal da Comissão de Saúde da Câmara de vereadores de Camocim, que resolveu investigar os motivos pelos quais a prefeita se recusou a cumprir os tratados oficiais, pondo em risco os atendimentos de exames e consultas médicas destinadas a população. 

Vale ressaltar que a divida do Município com Consórcio chega a mais de meio milhão de reais, e há cinco meses o atendimento da população de Camocim vem sendo garantido pelos  recursos dos Municípios de Granja, Martinópole, Chaval e Barroquinha, cujos prefeitos, responsavelmente, assinaram, sem nenhuma dificuldade, o contrato de rateio, repassando regularmente os valores conveniados.   

Divida do Município de Camocim  com o Consórcio desde janeiro deste ano.




O oficio encaminhando a adesão ao contrato de rateio foi assinados pelo Secretário Municipal da Saúde, Fernando Fernandes, outro irresponsável, que não mantém diálogo algum com a população de Camocim sobre os inúmeros problemas da Saúde  Municipal. Mas, disto, falaremos depois. 

oficio/rateio





Alfinetada

O vereador hipócrita, César Veras, defensor que aplaude as irregularidades da prefeita  e reza em sua  cartilha, na última sessão da Câmara, sexta-feira (25),  teatralizou um defesa falsa, tentando acobertar a irresponsabilidade da prefeita, supondo que a mesma ainda não havia assinado o contrato por que "não sabia quais os benefícios que o Município tinha no Consórcio". Uma justificativa um tanto quanto imbecil, haja vista que a prefeita já foi gestora do referido Consórcio, o que torna impossível a mesma não saber quais os benefícios.

O que César Veras deveria ter dito é que a prefeita, desde que perdeu a presidência do consórcio para o prefeito de Martinópole - e brigou para não perder, impondo condições - vem dificultado o funcionamento do mesmo, com boicotes, e ensaiando calotes financeiros.

César Veras esqueceu de dizer que a prefeita exigiu, como condição para permanecer no Consórcio,  a nomeação de alguns de seus parentes em cargos de direção na Policlinica ou no CEO Regional. Como não conseguiu, da maneira que quis, de forma ante-democrática, Monica vem tentando a todo custo desqualificar o serviço da atual gestão do Consórcio, e pasmem: fazendo jogo sujo com a saúde da população, com o aval de César Veras na Câmara e dos demais vereadores da bancada de situação. 

Contudo, apesar da pressão, hoje, ao assinar o contrato de rateio, a prefeita desmoraliza o vereador leviano César Veras, derrubando por terra sua justificativa delinquente. O que ele irá dizer na próxima sessão? Qualquer coisa, aliás, mentira, menos, jamis, a verdade. Ele sim, é um fanfarrão de marca maior! 

Carlos Jardel 

Nenhum comentário: