segunda-feira, 2 de abril de 2018

Ministério Público instaura Inquérito Civil contra prefeitura de Camocim por fraude em licitação na compra de tabletes

Denuncia de Erasmo e Juliano poderá enquadrar prefeita por improbidade administrativa


O Ministério Público Estadual abriu Inquérito Civil Público contra a prefeitura de Camocim, mediante denuncia formalizada pelos vereadores Erasmo Gomes e Juliano Cruz sobre suposta fraude cometida pelo Governo Municipal  através do processo licitatório realizado  para a compra de tabletes destinado a  premiação de professores das escolas Nota Dez, no Espaece 2015/2016.

O Revista Camocim, em 04 Janeiro deste ano (2018) AQUI , após verificar Portal da Transparência, tornou pública a suposta fraude no processo licitatório. 

Conforme denuncia, a Administração Monica comprou os produtos por mais de R$1.300,00 (mil e trezentos reais) enquanto o preço normal de mercado custa em torno de apenas  R$ 300,00. (trezentos reais).

O Promotor de Justiça, Evânio Pereira de Matos Filho, na portaria, enfatizou que a conduta da Gestora Pública que exerce o cargo de prefeita Municipal de Camocim pode ser enquadrada na Lei de Improbidade Administrativa.

A prefeita Monica Aguiar e a Secretaria Municipal da  Educação foram noticiadas sobre o processo a fim de prestarem esclarecimentos.








As informação foi repassada ao Revista Camocim pelo vereador Erasmo Gomes.

Carlos Jardel

Nenhum comentário: