sábado, 3 de fevereiro de 2018

Bloco feminista é eliminado dos festejos em Sobral

A retirada de um dos blocos de rua do Pré-Carnaval de Sobral, distante 273 km de Fortaleza, vem causando polêmica nas redes sociais. O bloco "Bato Siririca" foi retirado dos festejos mesmo após aparecer como grupo apto e liberado pelo edital aprovado pelo Instituto Escola De Cultura, Comunicação, Ofícios e Artes - Ecoa Sobral - com apoio da Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria de Cultura, Juventude, Esporte e Lazer (Secjel).

O bloco é composto por um grupo de mulheres que levantam a bandeira do feminismo na região. Na última quarta-feira, 31, o bloco não fazia mais parte da lista de liberados do Pré-Carnaval de Sobral. "Comunicamos que na tarde da quarta-feria, dia 31 de janeiro, fomos desclassificadas do edital pelo qual fomos selecionadas", informou o grupo por uma rede social.

Pelo edital, 15 projetos de blocos de rua - sendo 10 bloco fixos e cinco itinerantes - seriam apoiados com valores de R$ 1.500 para os fixos e R$ 3.500 para os bloco itinerantes.

De acordo com o cronograma, o resultado final seria divulgado no dia 18 de janeiro, com a assinatura do contrato sendo feita seis dias depois. No dia 18 de janeiro, o Ecoa Sobral divulgou um "resultado preliminar", dando aos projetos não selecionados a chance de recorrer, no prazo de 48 horas, da decisão apresentando recursos na instituição.

No dia 23 de janeiro foi divulgado de forma oficial o resultado final do Edital do Blocos de Pré-Carnaval. Nesta lista, o bloco feminista ainda constava na lista. Passados alguns dias, em 29 de janeiro, foi lançada ao público uma "retificação" do resultado final do edital onde não constava mais o nome do bloco "Bato Siririca".

Na errata, o instituto Ecoa Sobral afirma que a exclusão do bloco tem como justificativa um descumprimento jurídico, baseados no artigos 3.3 e 5.1 do Edital do Pré-Carnaval, que discorrem sobre regras de respeito a ordem e cidadania, a utilização de banda de sopro e metais, local de concentração do desfile e artigos que delimitam a participação de servidores públicos ou funcionários do Ecoa Sobral, bem como pendências jurídicas e licitatorias.

Em nota de repúdio, as organizadoras do bloco se manifestaram contra a decisão de eliminar o grupo do Pré-Carnaval de Sobral. "Em um Estado onde a violência contra a mulher alcança níveis mais que alarmantes, o nosso bloco vem por meio da arte trazer temas que precisam ser dialogados. Em marchinhas e paródias sobre a necessidade da denúncia de diversas violências, do respeito às diferenças, da não opressão contra o desejo e o corpo feminino, nós levamos para a rua de forma leve e descontraída questões que afetam o dia a dia das mulheres, sejam elas cis, trans, lésbicas, bissexuais ou heterossexuais".

"Não vamos admitir censura de nenhuma forma contra nosso movimento e tampouco o uso de nossa imagem como forma de ridicularizar não só o bloco em si", afirma a nota.

Ainda de acordo com a nota divulgada nas redes sociais, as organizadoras estão tomando medidas legais contra "ofensas, calúnias e ameaças" proferidas por sites e perfis pessoais nas redes sociais.

As organizadoras do bloco anunciaram que nesta sexta-feira, 2, o bloco "Bato Siririca" desfila de forma independente, com concentração na Praça São João em Sobral.

O POVO Online tentou contato com o Instituto Escola De Cultura, Comunicação, Ofícios e Artes - Ecoa Sobral, porém não teve as chamadas atendidas.

Samuel Pimentel - especial para O POVO 

Nenhum comentário: