quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

A culpa não foi da chuva! foi da prefeitura, que mudou o posicionamento do palco.


Esta não foi a primeira edição do Carnaval de Camocim na Praça do Odus e nem foi a primeira chuva a banhar a cidade neste período. Já tivemos  chuvas mais intensas e com fortes rajadas de vento em outros carnavais - quem nunca dançou debaixo de uma boa chuva durante uma festa no Odus?-  e isso nunca foi motivo para danificar equipamento algum ao ponto de chegar ao cancelamento do evento. Bom, partindo deste ponto, podemos afirmar que a cidade tem experiência quanto a organização de carnavais, tem noção de como e onde montar a estrutura  de palco, som e de todos os demais detalhes dentro do perímetro em que se realiza o evento. Tem noção, inclusive, da direção em que sopra o vento e de qual rumo costumam vir as chuvas. Detalhe: quando o assunto é  chuva e vento, o povo de Camocim, especialmente nossos queridos pescadores, tem conhecimento pra dar e vender, afinal de contas eles precisaram aprenderam, ainda pequenos, como manusear suas embarcações à vela e como se proteger dos temporais. E esse conhecimento é algo que vem atravessando gerações  - não foi à toa que um pescador, durante a montagem do palco disse: esse palco aí não vai dar certo!- 

Neste ano, não se sabe os motivos, a prefeitura resolveu mudar o posicionamento do palco, apostando sabe-se lá em que - talvez na possibilidade de não chover? terá sido? Não duvido, principalmente para quem tem mania de querer ser Deus. Mas o fato é que choveu e o que não estava nos planos aconteceu:  entrou água no palco, molhou e danificou muitos equipamentos e a festa teve que ser cancelada (atitude responsável e correta). 

Agora, dizer que a prefeitura não tem culpa é um tanto quanto "cara de pau", afinal de contas, a leitura da situação já sinalizava para este perigo, muito embora não tenha sido algo premeditado, mas foi um desastre anunciado - aqui se faz valer a frase mais clichê : "não se mexe em time que está ganhando". E esse foi o problema: a prefeitura apostou em algo que tinha tudo para dar errado, trocou o certo pelo duvidoso!

Pela importância que tem a cidade e o carnaval, nenhum gestor pode se dar ao prazer de correr o risco de frustar a alegria de milhares de foliões e de trabalhadores. 

Neste momento, o gesto mais  decente da prefeita Monica e do deputado estadual Sérgio Aguiar seria vir a público e pedir desculpas ao povo, pela incompetência de seu governo na preparação da estrutura dos equipamento na praça de Eventos.  E deve fazer isso por que o dinheiro que arcou com esta estrutura saiu do bolso do povo trabalhado de Camocim, que pagou caro, muito caro, para se divertir durante os quatro dias, e não apenas três. 

Os capachos

Um dos nossos leitores publicou: "Mais cedo os capachos da prefeita Monica Aguiar e do deputado Sérgio  estavam eufóricos, zombando e tirando onda da cidade de Granja, por conta de uma chuva forte que inundou alguns pontos da cidade.  Além disso eles espalharem boatos de que o evento em Granja seria cancelado.
Pois bem, poucos minutos depois um temporal veio sobre Camocim , comprometendo toda estrutura do evento, ocasionando o cancelamento do Carnaval.
Foi o tiro que saiu pela culatra, prejudicando foliões, trabalhadores, vendedores autônomos, barraqueiros, donos de bar e lanchonetes. Muita gente ficou no prejuízo!
 Enquanto isso em Granja, o carnaval foi até  às 7 da manhã. 
Lição: as vezes o feitiço se volta contra o feiticeiro.

Carlos Jardel 

Nenhum comentário: