quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Presidente Júnior fala sobre demissões na Policlinica e diz que deputado Sérgio utilizava Consórcio para fazer politicagem



O presidente do Consórcio Público de Saúde da Microrregião de Camocim, prefeito de Martinópole, Júnior Fontenele, explicou que o corte dos servidores contratados da Policlinica de Camocim ocorreram como medida de contenção de despesa, para o Consórcio poder arcar com as indenizações dos três  ex-diretores indicados por Sérgio Aguiar, quando o mesmo, junto com sua esposa, se sentia dono do equipamento da Saúde Microrregional. 

A irmã do deputado, Geovana Aguiar, que ocupou a direção da Policlinica, está cobrando, uma indenização trabalhista no valor de R$150,000. A ex-secretária Executiva do Consórcio, Ana Elizabethe, cobra R$159,000. Já o ex-diretor do CEO, Dr. Sena, requer uma indenização de R$192,000. A Procuradoria do Consórcio tentou fazer acordo com os três, mas sem sucesso.

O presidente Júnior lembrou que antes o consórcio era controlado tão somente pela prefeita Monica, e as pessoas precisavam "ir até o birô da irmã do deputado", a diretora da Policlinica, para poder conseguir  uma consulta, atendendo politicamente o deputado Sérgio, que subtraia da demanda de atendimentos das outras cidades.

Hoje, na nova gestão, os município tiverem um crescimento de 50% no atendimento em consultas e  todos os prefeitos que compõe o Consórcio participam da gestão, inclusive das decisões, que são tomadas de forma coletiva, em assembleias deliberativas. 

Confira o vídeo acima com parte da entrevista cedida aos radialistas Miqueias Santos e André Martins

Carlos Jardel

Nenhum comentário: