sexta-feira, 14 de julho de 2017

A DIFERENÇA: PREFEITA DE GRANJA OBEDECEU ORIENTAÇÃO DO MP. JÁ A DE CAMOCIM IGNOROU E DESOBEDECEU SENTENÇA JUDICIAL


Fotos: Monica e seu protótipo de capachos! 


Nas redes sociais, os eleitores e capachos de Monica Aguiar estão cantando e dançando ao mesmo tempo a música da hipocrisia, com o velho escárnio tipico de quem vive e sobrevive "atolado até o gogó" dentro da  imoralidade. Tudo porquê  a prefeita Amanda do Romeu, da cidade de Granja, resolveu obedecer a orientação do Ministério Público com relação a seleção pública municipal para contratação de servidores temporários, realizada no início deste ano. Entenda: foi apenas uma recomendação. Não foi um processo tramitado julgado e sentenciado pela Justiça. Melhor dizendo nem ao menos houve processo! 

Vejam bem a contradição dos idolatras de Monica e Sérgio: o Ministério Público processou o município de Camocim, a Justiça acatou o pedido e determinou que a prefeita Monica colocasse pra fora os contratados e efetivasse os concursados.  E sabe o que a prefeita Monica fez? Descumpriu a ordem da Justiça e recorreu para protelar a situação e contratar irregularmente seus cabos eleitorais -  aqueles bananas que saem de pedindo votos pra eles, batendo de porta em porta no período das eleições, mas que logo depois pegam "pé-na-bunda" sem mais nem menos - . E o pior de tudo é que a prefeita sequer realizou seleção pública. Contratou quem quis e do jeito que bem entendeu, sem observar as leis.  Vale ressaltar ainda que neste engodo de imoralidades, desenvolvido pela prefeita de Camocim, consta a humilhação que ela tem feito aos aprovados do concurso público e o fato dela ter mentido para o ministério público, ao afirmar que ainda no passado iria publicar um certame para a realização de um novo concurso público.

A prefeita que mente, engana povo, zomba do Ministério Público, descumpre a Constituição Federal  de 88, humilha aprovados de concurso público e  desconsidera as demais instituições, é Monica Aguiar, esposa do deputado Sérgio Aguiar,  que vai responder por improbidade, inclusive com uma multa de 30 mil diário, por desobediência estipulada pela própria Justiça .

Então? Para isso os capachos fazem vista grossa, aplicando o discurso da falsa moral. 

Bom, pelo visto Eles  (os capachos da prefeita de Camocim), que já estão acostumado a viverem na desordem administrativa sob o comando de uma gestora que já foi até cassada por corrupção eleitoral, de fato, não estão acostumados a verem um gestor obedecer o Ministério Público. 

Carlos Jardel

Nenhum comentário: