terça-feira, 18 de abril de 2017

ENEL ANUNCIA HOJE AUMENTO DA CONTA DE LUZ

A expectativa é que o reajuste fique abaixo dos 10%. “A inflação começa a girar para o centro da meta. Por conta das bandeiras tarifárias, o Governo fez o acerto com as concessionárias, como se tivesse feito um reajuste antecipado. A minha aposta é que seja abaixo de 8%”, destaca Adão Linhares, vice-presidente da Câmara de Energias Renováveis, entidade ligada à Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado (Adece). Para a composição do reajuste, são consideradas as perdas e ganhos financeiros da distribuidora, além da depreciação dos ativos.

No ano passado, o reajuste médio autorizado pela Aneel ficou em 12,97%, sendo 11,51% para consumidores de alta tensão e 13,64% consumidores de baixa tensão.


Com relação ao aumento na conta de luz em abril, a Agência autorizou bandeira tarifária vermelha para este mês, implicando numa cobrança extra de R$ 3 a cada quiloWatts/hora (KWh) consumidos. No entanto, de acordo com Romeu Rufino, diretor-geral da Agência, a bandeira vermelha permanecerá até o mês de novembro. O prognóstico é o nível dos reservatórios se mantenha baixo até o período. Rufino não descarta, contudo, a possibilidade de a bandeira amarela ser acionada antes de novembro conforme o comportamento do consumo e das condições climáticas. O valor pago é de R$ 2 por KWh consumidos.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia de usinas termelétricas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função das condições de geração.

Desconto

Apesar do reajuste tarifário e da autorização da bandeira vermelha, os consumidores do Ceará devem receber um desconto de 13,95% na conta do mês de abril. O percentual é referente à cobrança indevida aos consumidores do Estado pela operação da usina Angra 3, no Rio de Janeiro. Houve acréscimo nas contas de luz sem que a energia chegasse a ser usada, uma vez que a unidade ainda não entrou em operação. A medida também afetou consumidores de todos os Estados. E a Aneel calcula devolver até R$ 900 milhões. A suspensão da cobrança deve deixar a conta de luz, em média, R$ 2 mais barata. (Átila Varela)

O POVO

Nenhum comentário: