sexta-feira, 24 de março de 2017

QUANDO MP E JUDICIÁRIO SÃO LENTOS OU OMISSOS, DÁ NISSO: VEREADOR PROMOVE TESES CONTRA A CONSTITUIÇÃO FEDERAL

O vereador Oliveira confundiu a prefeitura com sua pesqueira, que pode contratar qualquer um, e de qualquer jeito.



Uma coisa é o parlamentar ficar caldo e concordar com qualquer desatino do executivo - o que não deixa de ser imoral - a outra coisa é ele concordar com o desvario e promover a imoralidade através de discurso, criando teses contra a Constituição Federal, apenas para receber aplausos da plateia, formada por vitimas alienadas, carentes de um "traje a rigor na alma"...Pensando por este lado, o vereador Oliveira da Pesqueira, perdeu a oportunidade de ficar calado na tribuna da Câmara, ao defender o projeto ilegal de contratação temporária da prefeita Monica. Seu discurso pobre (de tudo) conseguiu ser "ultra asqueroso". Um verdadeiro apedrejamento na Carta Magna da sociedade, e um forte golpe contra a memória dos  que lutaram no passado para defender a moralidade pública via PCdoB. 

Vejamos: o vereador disse, em tom de despreso, que no serviço público municipal "não precisa fazer seleção" para contratar servidores, e que a prefeita  "tem é que colocar o povo pra trabalhar". 

- É bom que se diga que "o povo", a qual o vereador se referiu, eram os eleitores desempregados da prefeita Monica, cuja boa parte, na ocasião, lotavam o plenário da Câmara, esperando subir a fumaça branca da conclusão do "conclave",  para depois comemorarem: "já temos a papa". 

- Na versão legitima, ele, Oliveira, quis dizer, gritando: "porra, a prefeita tem é que colocar, urgente, seus  cabos eleitorais para trabalhar, pois uma seleção pública - que é o caminho legal - só iria atrapalhar e deixar seus eleitores furiosos, colocando em risco seu exercito de contratados nas próximas campanhas eleitorais. A constituição Federal que se dane! ". 

Nem mesmo o César veras, em que o grau de analfabetismo funcional, pensava eu ser maior, conseguiu ser tão ridículo quanto o vereador Oliveira. 

Oliveira, certeiramente, apedrejou o artigo  3º da Lei 8.745/93, que diz claramente:  

"O recrutamento do pessoal a ser contratado, nos termos desta Lei, será feito mediante processo seletivo simplificado sujeito a ampla divulgação, inclusive através do Diário Oficial da União, prescindindo de concurso público".

Pergunta: vereador Oliveira, por acaso, a Lei é politiqueira? Ou o senhor  está querendo comparar a administração pública Municipal com sua pesqueira, onde pelo jeito, o senhor contrata qualquer um, e de qualquer jeito?

Ocorre, nobre vereador, que a prefeitura não é propriedade particular da prefeita, e muito menos a sua pesqueira. Por tanto, ela deve ser administrada rigorosamente pela Constituição Federal e o conjunto de leis, que o senhor, enquanto vereador, tem a  função de fazer com que sejam respeitadas, e não agredidas brutalmente com este seu discurso desqualificado, politiqueiro e imbecil. 

Ora, mais o que é isso?

Isso é um vereador descumprindo seu juramento e patrocinando a prática da ilegalidade na máquina pública, através de um discuso que faz apologia  a tal situação. 

Isso também é, e mais do que tudo, a ausência e a lentidão do Ministério Público e do poder Judiciário! 

Isso é a certeza da impunidade, a prevalência da ilegalidade norteando a máquina pública e agredindo a sociedade. 

Carlos Jardel

Um comentário:

alex ase disse...

Aí São um bando de babao esses vereadores so servem pra puchar o saco do deputado e da prefeita São um bando marionetes tudin tem o rabo preso