terça-feira, 29 de novembro de 2016

TRAGÉDIA : AVIÃO QUE LEVAVA TIME DA CHAPECOENSE PARA FINAL DA SUL-AMERICANA CAI NA COLÔMBIA

Dos 81 passageiros, sobreviveram 5:  Os goleiros Danilo e Follmann, o lateral Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel, assim como uma aeromoça, cuja identidade não foi informada.


Chapecoense caiu na madrugada desta terça-feira na Colômbia, para onde a equipe viajava para disputar a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional de Medellín.

Oitenta e uma pessoas estavam a bordo, entre jogadores, jornalistas e tripulantes.

A Polícia do Departamento (Estado) de Antióquia, informou à agência de notícias Reuters que 76 pessoas morreram e cinco sobreviveram.

Entre os sobreviventes confirmados estão os goleiros Danilo e Follmann, o lateral Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel, assim como uma aeromoça, cuja identidade não foi informada.

O mau tempo na região torna mais difícil o trabalho de resgate, que foi suspenso nas últimas horas por causa da forte chuva.

O avião partiu-se em três pedaços. O local da queda, próximo a Medellín, no Departamento (Estado) de Antióquia, é montanhoso e de difícil acesso.

Mais cedo, o prefeito da cidade de Medellín, Federico Gutierrez, informara à agência de notícias France Presse que 25 pessoas tiveram a morte confirmada e que ao menos cinco pessoas haviam sido resgatadas com vida.

O avião, um RJ85 da companhia boliviana Lamia, com 17 anos de uso, havia feito uma escala em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e seguia para Medellín.

Segundo um comunicado do Aeroporto José María Córdoba, de Medellín, a tripulação comunicou uma emergência por "falhas elétricas" por volta das 22h15 locais (1h15 de Brasília).

A Confederação Sul-Americana de Futebol anunciou a suspensão da competição e de todas as suas atividades esportivas.
"É uma tragédia de grandes proporções", disse o prefeito da cidade de Medellín, Federico Gutierrez, à Rádio Blu da Colômbia, quando estava a caminho do local do acidente.

Um breve comunicado foi publicado na página da Chapecoense no Facebook e diz:

"Em função do desencontro das notícias que chegam das mais diversas fontes jornalisticas, dando conta de um acidente com a aeronave que transportava a delegação da Chapecoense, a Associação Chapecoense de Futebol, através de seu vice-presidente Ivan Tozzo, reserva-se o direito de aguardar o pronunciamento oficial da autoridade aérea colombiana, a fim de emitir qualquer nota oficial sobre o acidente. Que Deus esteja com nossos atletas, dirigentes, jornalistas e demais convidados que estão junto com a delegação."

O clube brasileiro está fretando um voo para levar uma comissão de médicos e advogados até a Colômbia.

O prefeito Elkin Ospina, da cidade de La Ceja, que fica próxima ao local do acidente, está na região e disse que a prioridade é a busca por sobreviventes. Segundo Ospina, três passageiros - jogadores da Chapecoense - teriam sido resgatados com vida.

De acordo com a imprensa colombiana, o piloto do avião teria conseguido descartar todo o combustível para evitar uma explosão.

A Força Aérea da Colômbia informou que o mau tempo impediu que um helicóptero militar fosse eviado para ajudar no resgate.

A Chapecoense enfrentaria o Atletico Nacional de Medellín na final da Copa Sul-Americana, na próxima quarta-feira, em Medellín.

O clube colombiano divulgou uma breve mensagem no Twitter.

"O Nacional lamenta profundamente e se solidariza com @chapecoensereal pelo acidente ocorrido e espera informações das autoridades".

O prefeito da cidade de Chapecó, Luciano Buligon, deveria ter embarcado no mesmo voo, mas acabou não indo e ficou em São Paulo.

Ele lamentou o acidente e contou que seu nome estava na lista de passageiros por engano.

Fonte: BBC Brasil

Nenhum comentário: