quinta-feira, 10 de novembro de 2016

POR FALTA DE PAGAMENTO DA PREFEITURA DE CAMOCIM, ÁRBITROS DECIDEM PARALISAR TORNEIO DE FUTEBOL

O atraso já estaria no 4º mês

A informação foi publicada pelo presidente da Liga Desportiva Camocinense de Futebol, Beto Siebra, no Facebook. 

A competição em questão não é de responsabilidade da Liga, mas sim da prefeitura - a prefeitura resolveu golpear a Liga.

O Revista Camocim também recebeu a informação de um desportista que pediu para não ser identificado. 

Segue a postagem do Beto: 

"Tomamos conhecimento, através de informações que nos foi repassado que, possivelmente, o Torneio de Futebol de Campo que está sendo disputado no Estadio Municipal Fernando Trévia, de responsabilidade da Secretaria de Esporte de Camocim,  será paralisado ou seja, suspenso por falta de pagamento do pessoal da organização (árbitros, auxiliares, delegados etc). Reunidos ontem à noite, para confecção da escala dos árbitros, bandeiras e delegados dos jogos da próxima rodada no final de semana, a categoria decidiu cruzar os braços e paralisar definitivamente suas atividades até que o pagamento seja efetivado.

De acordo com relatos de alguns árbitros, o campeonato, que teve inicio em torno do dia 21 de julho, teria sido acordado para todo mês ser repassados os valores pela Secretaria aos profissionais do apito. Justamente no dia 21 de cada mês conforme nos informaram. De lá pra cá, o tempo passou e já está próximo a completar quatro meses de atraso. A reclamação é geral. 

Fica aqui o registro de uma situação q precisa ser revista e resolvida dessa categoria. Não obstante uma competição insatisfatória, agora será bloqueada por falta de quórum, quer dizer de arbitro ou falta de real. Pra não dizer vergonha. A falta de pagamento. Que soem os apitos".

Alfinetada

A prefeita Monica termina seu primeiro mandato de forma desastrosa e endividada com o futebol de Camocim, tanto de campo como  futsal - e nem estamos nos referindo aos outros esportes, da qual ela nunca deu o minimo de atenção -. E não adianta alegar que a reforma do Ginásio foi o grande marco de sua gestão, por que não foi. O investimento deveria ter sido para além desta estrutura física. Também não vale dizer que a Secretaria do Esporte foi um grande suporte. Não foi, por que apesar de sua relevante existência e da competência de quem a administra, percebe-se claramente que foi um estrutura completamente dependente da boa vontade da prefeita e do deputado Sérgio Aguiar, que controlam tudo e pouco fazem.  Fato, é fato! 

Carlos Jardel 

Nenhum comentário: