sábado, 22 de outubro de 2016

SOBRE A ONDA DE SUICÍDIOS NA REGIÃO

"Os números assustadores de suicídios continuam aumentando no Ceará. Só na última quarta-feira, 19, foram quatro os casos de suicídios em nosso Estado. Passados apenas dois dias, na sexta-feira, 21, as autoridades registraram mais três casos, somando o elevado número de sete pessoas em apenas dois dias que decidiram pôr fim a própria vida, todos por meio de enforcamento".

O paragrafo acima foi extraído do Blog Camocim Policia 24 horas, do blogueiro Flávio, que tem dado destaque ao problema e importância ao debate qualificado, objetivando propor um comportamento salvífico da sociedade.

O fato sugere que a vida orgânica da cidade seja avaliada, a fim de melhorar o diálogo e as ações que combatam o suicídio, deixando de simplificar a questão com análises meramente emotivas, sentimentais ou estupidamente religiosa, justificada no fundamentalismo alienante. Pois o que leva um ser humano a  "colocar a corda no pescoço" não é somente a falta de Deus. Aliás, este barato discurso religioso, de caráter condenatório, não serve para nada. É de uma falsa moral desgraçada.  É o tipo de reflexão desumana, que gera dor eterna nos familiares da vítima.
E se as religiões pretendem colaborar, é bom abrir mão do fundamentalismo religioso e de seus abomináveis cultos de salvação imediata, através da espetacularização dos teatros exorcistas, como se o individuo estivesse simplesmente possuído pelo satanás.

O problema requer um estudo amplo da sociologia, psicologia, medicina, e sempre de mãos dada com o sistema de saúde que trata das doenças mentais.

O problema tem que ser combatido por todos.

O fator econômico 

Alguns estudos sérios apontam que a crise econômica global aumenta o número de pessoas se matando.

A Universidade de Oxford² estudou os efeitos da crise econômica global, que começou em 2008, sobre as taxas de suicídio nos EUA, no Canadá e na Europa. Em todos os casos, elas apresentaram crescimento: de 4,8%, 4,5% e 6,5%, respectivamente. Os suicídios no mundo já vinham aumentando (o número global de casos cresceu 60% desde a década de 1970), mas agora assumiram um ritmo mais intenso.

Leia mais aqui Suicídio mata mais que homicídio e desastres

Carlos Jardel

Nenhum comentário: