quinta-feira, 27 de outubro de 2016

NEGLIGÊNCIA DO ESTADO CAUSA MAIS UMA GRAVE REBELIÃO DE DETENTOS NA CADEIA PÚBLICA DE CAMOCIM

Ontem, dia 26, por volta das 19h, mais uma vez, num espaço de pouco mais de 5 meses, aconteceu mais uma perigosa rebelião na fajuta cadeia pública de Camocim, por absoluta culpa do Governo do Estado do Ceará e também das demais autoridades locais cuja influência e relevância de cargos, neste sentido, parece que não tem servido de absolutamente nada. O sistema penitenciário é uma porcaria, o judiciário e a promotoria parecem ficar com os pés e as mãos atadas com relação a esta problemática. A Câmara de Vereadores, representante legal do povo, é fraca, muito fraca. A prefeita e o deputado da cidade tem se mostrado incompetentes ou, na pior das hipóteses, coniventes com o caos que é a cadeia pública que fica situada no coração da cidade. Quem não tem culpa alguma é a população honesta da cidade, que acaba arcando com todas consequências desta "bomba atômica", contando apenas com ajuda dos profissionais de segurança pública (policia militar, civil e agentes penitenciários) que acabam se desdobrando, arriscando a vida para remendar a desgraça deste imundo e falido sistema. 

A capacidade da cadeia é para comportar 67 detentos, mas  amontoa um total de 170. E este teria sido um dos motivos da rebelião que teve como consequência, além do pânico causado na sociedade, a destruição interna da cadeia pelos detentos, feridos e fugitivos. E apesar de todas as possibilidades, graças a Deus, não teve mortes. 

O Blogue Camocim Policia 24 horas   que "era por volta das 19h da noite quando os detentos gritavam desesperados pelo agente penitenciário dizendo que um deles estava precisando de socorro urgente. Puro fingimento. Era o plano deles. Nesse momento um agente e um PM foram à cela e ao se aproximarem os detentos tentaram atingir o agente com uma barra de ferro. O agente e o PM conseguiu sair do local rapidamente e então teve início a rebelião. Conforme o apurado, a intenção dos detentos era fazer o agente de refém.

Uma parte dos presos que fugiram pelos buracos no pátio interno subiram nos telhados das residências e lojas de todo quarteirão. De lá eles jogavam pedras e telhas nos policiais e até nos curiosos que teimavam em se aproximar do local. Alguns dos presos que conseguiram fugir foram logo recapturados, cerca de cinco. Houve invasão dos detentos em algumas casas do quarteirão, o que causou pânico nos moradores" .

Há quem análise a situação de forma unilateral, acusando apenas os presos pela rebelião - sim eles tem culpa -, mas o problema tem sua dimensão horizontal e vertical, envolve muito mais elementos do que se possa imaginar.  É a postura engessada do Estado que na realidade tem ocasionado tudo isso.

A cadeia Pública de Camocim, para o bem da população, precisa ser desativada o quanto antes. Não existe possibilidade alguma de funcionamento. Dentre vários fatores, provados pelo tempo,  inclusive sua localização inadequada, ela não cumpre seu papel de ressocialização. E manter esta situação pode ser considerado um crime contra à população. 

Carlos Jardel

Nenhum comentário: